>

sexta-feira, março 31, 2006

Quando o passado visita o presente...

Estas três imagens abaixo foram retiradas de um livro que fez as delícias da infância do S. e cujas capas de dentro ele se entreteve a pintar, enquanto imaginava histórias com aqueles bonecos divertidos, e que tinha pertencido a um tio-avô da Marinha de Guerra. A história propriamente dita era para adultos (barcos e temas relacionados com a Marinha) e em inglês, portanto não reteve a sua atenção enquanto criança.

As seis imagens...

As seis imagens imediatamente em baixo são do livro de leitura de Francês da minha tia. Não faço ideia da data, mas se ela nasceu em 1894...
Tem piada, não tem? E é bonito.

Nas costas das "Vieilles Chansons" está isto

Canções antigas

Estes dois posts em baixo pertenceram à minha tia que nasceu em 1894. Estes folhetos com pautas de música devem ter sido muito importantes para ela, porque os guardou. Só não me lembro se cantou por eles ou a que época da sua vida pertenceram. Nunca andou na escola, mas foi ensinada em casa por um professor e pelo pai. Era uma pessoa muito curiosa e cheia de vida e dizia com muita graça que era uma analfabeta porque nunca tinha feito nenhum exame. Se tivesse vivido em tempos mais modernos, julgo que teria ido mais longe do que foi.

Postal com afectos de outros tempos

Coisas minhas

Os dois postais publicados em baixo foram -me enviados pela minha mãe em 1951, em viagem com o meu pai pela Europa, e fizeram as minhas delícias. Ainda sinto nos olhos e nos dedos o prazer imenso com que lhes toquei e li as palavras carinhosas da minha mãe ("Minha querida filhinha", começava ela). Acrescento ainda que a minha mãe, quando voltou, me contou como a impressionara ver a destruição pela guerra de todos aqueles países por onde tinha passado e observar o empenhamento das pessoas na sua reconstrução, de que trouxe fotografias elucidativas. E o meu pai reencontrou antigos colegas da faculdade. E outra história engraçada: há uns anos, escrevemos para a Universidade Técnica de Berlim, sem esperança alguma, diga-se, para tentarmos saber se eles tinham referências da passagem do meu pai por lá. Pois responderam prontamente dizendo que tinham muita pena mas que tinha ardido tudo.
Fica-se amargurado...

Estar aborrecido

O postal azul foi escrito por uma das minhas tias para uma prima com quem costumava estar muitas vezes e que se ausentara para fora do país em viagem. Teriam ambas à volta dos 20 anos, em meados de 1900. Para quem não conheça a expressão to feel blue, ela significa "estar aborrecido".

Ainda os postais de outros tempos

quinta-feira, março 30, 2006

Pensando na Greentea e na T...

Encontrei estes dois postais enviados da Alemanha por uma tia minha para o irmão, meu pai. Ela e a mãe acompanhavam o meu avô, que estava em serviço em Berlim, e o irmão ficou em Portugal, julgo que num colégio interno durante o tempo que a família esteve ausente.
Achei que não destoaria dos últimos posts da Greentea (http://fasesdalua2020.blogspot.com/ )e da T. (http://por-um-fio-invisivel.blogspot.com/ e http://soprarpalavrasaovento.blogspot.com/). Pelo menos as datas são próximas e o tema também, dado que se trata de ligações afectivas.
M

Um Postal de 1914

Descoberto na Gaveta...