>

quinta-feira, setembro 13, 2012

3. Jawaa



Como num filme, a luz acende uma alvorada na noite que deseja pousar, apressada pelas nuvens escuras. E tudo fica mais belo outra vez, menos triste, a confirmar-nos que os barcos estão de regresso, que os homens chegam da faina, que as ondas continuam pelos séculos a desdobrar na areia as rendas brancas. 

Jawaa

5 Comments:

Blogger Luisa said...

Em todos os filmes devia entrar o mar

14/9/12  
Blogger Licínia Quitério said...

O filme sempre renovado da natureza, quando ao fim se segue um princípio e assim até ao limite dos nossos dias.

14/9/12  
Blogger Justine said...

Reconheço o cenário de um filme sueco - Bergman????

15/9/12  
Anonymous Anónimo said...

O mar é um mistificador que sempre faz "remakes" dos seus ódios, das suas ternuras. O mar vive-nos nas ondas do sangue.
Abçs da bettips

16/9/12  
Blogger Rocha de Sousa said...

Excelente fotografia. E a convi-
cção de que os barcos voltam daí
a pouco ao areal, na esperança de
que as ondas terão eternamente es-
te lugar e este balanço.

19/9/12  

Enviar um comentário

<< Home