>

quinta-feira, novembro 29, 2012

1. Agrades

4 Comments:

Blogger bettips said...

Perfeita. E até o relógio marca um tempo (quase) parado, o tempo do chá - de olhar e sentir o poema.

30/11/12  
Blogger M. said...

Talvez tudo tenha o tempo da inevitável solidão que o próprio tempo marca.

30/11/12  
Blogger Luisa said...

Aqui ainda há um sinal de esperança de que a solidão não se arraste por muitas horas. Virá? Não virá?

1/12/12  
Blogger Justine said...

Cenário perfeito onde o poema se espelha.
Gosto da ironia do relógio nas 5!

3/12/12  

Enviar um comentário

<< Home