>

quinta-feira, dezembro 13, 2012

1. Agrades



Que dizer dos espelhos que reflectem a minha imagem, real, sem dó nem piedade? Interrogo-me como o tempo passou e deixou as suas marcas exterior e interiormente! E nem especulando a realidade se transforma... 

Agrades

8 Comments:

Blogger ~pi said...

são trocas demasiado subtis para que possamos racionalizá-las, talvez. mas, sem dúvida, há muito engano no que os espelhos murmuram.






~

13/12/12  
Blogger bettips said...

Quando sorris ao mar da Ericeira alguém deve levar-te um espelho: para te veres linda como és.
E não especulo que já te vi com estes meus olhos, lá!

15/12/12  
Blogger Rocha de Sousa said...

Fotografia bem pensada para aquilo que vais ilustrar: um acto preciso de luvidez, conservação do espírito
sobre o ser

15/12/12  
Blogger Luisa said...

Não te olhes ao espelho. Olha para os nossos olhos em que verás reflectido o teu encanto.

16/12/12  
Blogger M. said...

Uma porta aberta para outros caminhos e outras imagens.
Aproveitemos então as marcas que o Tempo deixa na sua passagem.

16/12/12  
Anonymous Zambujal said...

O pior é haver quem, especulando, transforma a realidade e a torna pior que o mais cruel dos espelhos a mostra...
Quanto à nossa imagem, que o espelho nos ajude...

16/12/12  
Blogger Licínia Quitério said...

Diria o mesmo que disse à Luísa. Os espelhos devolvem-nos. A Branca de Neve poderá ser sempre bela.

16/12/12  
Blogger Justine said...

E o espelho da alma, Agrades? Não é bom a gente mirar-se no espelho da alma?:)))))Os outros estão desfocados!!!!!!!

17/12/12  

Enviar um comentário

<< Home