>

quinta-feira, dezembro 06, 2012

11. Rocha/Desenhamento



                     Dizem-me
 
Dizem-me que os homens estão mudando o ar, o mar e a terra, através de disposições inventivas, cada vez mais invasoras dos eco-sistemas, a desviar a razão de ser (se isso é possível) das relações entre os seres vivos e as grandes massas de matéria inorgânica, entre as subtilezas de todas as raizes de tudo, com milhões e milhões de anos de existência, e os complexos sucessos da transformação no Universo.
E hoje, em espaços cada vez mais complexos e sempre na mira de mais produção, mais necessidades ilusórias, a civilização embrulha notícias e rasgões de sucessivas grandes guerras, mortandades inomináveis, enquanto a globalização amachuca, como que em bolas de papel, o resto dos discursos pacificadores ou as notícias do alarme e do medo, jornais formando parte do lixo urbano, mal lidos, mal avisados contra o império da imagem, dia a dia mais futilizado, despejando sobre nós uma espécie de água suja, daquilo a que chamamos, fascinados, o mundo virtual.
Eis o que nos vai restando. Tudo cresce e soçobra com o tempo, a morte substitui valores, memórias, a qualidade inquestionável do passado. Todos os dias o dizem em disfarce, dizendo-me.

ROCHA DE SOUSA

11 Comments:

Blogger agrades said...

Os "me"dia baralham-nos , atormentam-nos, informam...

6/12/12  
Blogger Licínia Quitério said...

Embora o desafio de hoje não incluisse a apresentação de texto, o seu é um belo texto declarativo da foto que escolheu.

6/12/12  
Blogger M. said...

Sim, muito belo este conjunto interventivo.

6/12/12  
Blogger M. said...

Este comentário foi removido pelo autor.

6/12/12  
Blogger Luisa said...

Por vezes, apetece-me não os ouvir.

6/12/12  
Blogger bettips said...

Elucidativo
do papel-jornal,
e do papel que têm os poderosos meios de comunicação.

(a memória é um dom que fica, mesmo sepultado por séculos ou milhões de anos. Que o filho do homem a saiba ler!)

6/12/12  
Blogger mena maya said...

É uma uma sopa de letras azeda e indigesta que nos servem diáriamente!

A foto já só por si fala, de qualquer modo é interessante o texto que optou por nos oferecer.

7/12/12  
Blogger Benó said...

Os MEdia enchem-nos os olhos, arrasam-nos a cabeça, apertam-nos o coração com as noticias publicadas.
Gostei de ler o texto.

7/12/12  
Blogger jawaa said...


Tudo passa com o tempo, alteram-se valores, as necessidades variam; é preciso a morte para substituir, para renovar, não para apagar as memórias.
Aqui, a imagem de escrita complementada com escrita foi uma opção feliz.

7/12/12  
Anonymous Anónimo said...

Não tinha percebido que a palavra que incluia a sílaba me deveria também integrar um texto. M, podes esclarecer?

De qualquer modo este texto é bem ilucidativo dos tempos que correm, do lixo informativo que corre, da indiferença com que se passa pelo que realmente interessa.

Teresa Silva

9/12/12  
Blogger Justine said...

A ambição do homem não tem limites...

10/12/12  

Enviar um comentário

<< Home