>

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

10. ~pi



O vazio enchera as corolas de silêncio, a casa fora há muito desabitada. Ali se foram criando as cegas flores das pedras, amarelas como açafrão, flores que se ocultavam, crescendo seu nome pelo sulcado interior da parede virada a norte. 
Permanecia porém ali o seu traço, numa profusão de raizes secas muito duras, misturando-se no musgo e nos corações ali esquecidos - corações setados que os visitantes da ilha tinham desenhado e redesenhado, enquanto, de olhos vidrados no mar, esperavam um sinal do barco.

 ~pi

10 Comments:

Blogger M. said...

Bela a expressão "as corolas de silêncio". Sim, o silêncio pode ser uma flor que pousamos na nossa vida. Muito bela a fotografia.

14/2/13  
Blogger jawaa said...


Uma casa desabitada transmite sempre uma sensação de vazio.

14/2/13  
Blogger Justine said...

O vazio povoado de miragens,de fantasmas, de desejos...

14/2/13  
Blogger bettips said...

O lugar da casa, a fuga dos sinais: olhos vazios, descer as pálpebras sem ver a entrada da luz.

Foi o que senti ao olhar.

14/2/13  
Blogger agrades said...

Vazio frio.

14/2/13  
Blogger Luisa said...

Vazio igual a tristeza.

16/2/13  
Anonymous Anónimo said...

Saber ver é saber fotografar: aqui
está o exemplo, um certo vazio, que
o texto acompanha.

Rocha de Sousa

17/2/13  
Blogger Licínia Quitério said...

Deste olhar em fuga sobre a casa e o que resta dela, surgem histórias, meditações, imagens de flores amarelas de açafrão. Muito bonito.

18/2/13  
Anonymous do Zambujal said...

Os vazios povoados de sinais de um passado, ou de passados vividos.
O vazio ligando casa e ilha.

19/2/13  
Blogger Benó said...

Sempre um vazio no coração enquanto se espera o barco e a casa vazia dá-nos a ideia de que ele não voltou.

19/2/13  

Enviar um comentário

<< Home