>

quinta-feira, fevereiro 14, 2013

4. Justine



O vazio…bom, o vazio é, na minha opinião e nesta circunstância, muito mais belo e elegante que o cheio!

Justine

9 Comments:

Blogger M. said...

Aqui também, como lá em baixo no conjunto fotografia/texto da Agrades, encontro um misto de ironia e de metáfora.
Na verdade, na minha opinião, o vazio pode ser muito belo. Pelo que pode provocar de enriquecedor em quem o sente. A elegância da existência? :-)))

14/2/13  
Blogger jawaa said...


Não te tiro a razão, Justine, mas o que está dentro conta mais… copo sem vinho é copo sem alma!

14/2/13  
Blogger bettips said...

Concordo na elegância mas discordo no conteúdo: dás-me um copo de tinto? Pode ser no copo comum...

Muito bonita a ideia, Justine!
Um vazio que me encheu o sorriso.

14/2/13  
Blogger agrades said...

Uma bela e positiva forma de resolver o vazio!
Parabéns.

14/2/13  
Blogger Luisa said...

Uma questão de requinte, penso eu: mais vale passar sede mas não beber por um copo qualquer...

16/2/13  
Anonymous Anónimo said...

Fotografia descritiva, interessan-
te. Mas o mais interessante é o co-
mentário de Justine a esta «inti-
midade» suspensa, acabada em vazio.

Rocha de Sousa

17/2/13  
Blogger Licínia Quitério said...

Ambos cheios: um de líquido, outro de distinção. Tudo depende do nosso olhar.

18/2/13  
Anonymous do Zambujal said...

Começou por se beber o que apelou ao uso pela sua sua elegância. Pobre do copo feioso, mas ele saciará a sede.
Por outro lado, lembrou-me a estória do copo meio cheio e do copo meio... vazio.

19/2/13  
Blogger Benó said...

Justine, como tu tens razão no que se refere à beleza física dos objetos mas, agora ia pelo cheio. Acompanhas-me?

19/2/13  

Enviar um comentário

<< Home