>

quinta-feira, março 14, 2013

2. Benó



Era apenas mais uma noite invernosa. A chuva lá fora caía impiedosamente. O vento soprava empurrando à sua frente as folhas jovens que fragilmente se agarravam aos braços da mãe árvore. Ninguém passava na rua e as janelas eram como olhos entreabertos deixando passar tiras de luz de casas ainda acordadas. 
Como habitualmente em noites de invernia, a luz retirou-se não se sabe para onde, talvez com frio e o apagão foi geral. 
A lareira chispava e iluminava debilmente a sala onde nos encontrávamos. Com o isqueiro que está sempre à mão, acendemos a vela e brindámos à claridade que pelas paredes desenhava figuras abstratas executantes duma dança de luz e sombra. 
Era apenas mais um apagão numa noite invernosa.

Benó

5 Comments:

Blogger Justine said...

E o apagão deu origem a uma noite "antiga", bela e romântica...

14/3/13  
Blogger jawaa said...


Bonita recordação das noites tempestuosas deste inverno...

15/3/13  
Blogger bettips said...

A falta de luz leva-nos às cavernas, à condição primordial do fogo que para tudo servia: iluminar, aquecer, fazer a comida.
E contudo, há quem descubra a beleza quando falha (sendo só um apagão, claro!).

15/3/13  
Blogger mena maya said...

volta às oringens!

16/3/13  
Blogger Luisa said...

Quando os apagões não duram muito tempo também tenho essa sensação da calma das velas ao serão.

17/3/13  

Enviar um comentário

<< Home