>

quinta-feira, março 28, 2013

AGENDA PARA ABRIL DE 2013 (Dia 25)

Excerto II

Pygmalion 
(...) 
LIZA. I should look all right with my hat on. (She takes up her hat; puts it on; and walks across the room to the fireplace with a fashionable air).
HIGGINS. A new fashion, by George! And it ought to look horrible!
DOOLITTLE (with fatherly pride) Well, I never thought she'd clean up as good looking as that, Governor. She's a credit to me, aint she?
LIZA. I tell you, it's easy to clean up here. Hot and cold water on tap, just as much as you like, there is. Wooly towels, there is; and a towel horse so hot, it burns your fingers. Soft brushes to scrub yourself, and a wooden bowl of soap smelling like primroses. Now I know why ladies is so clean. Washing's a treat of them. Wish they saw what it is for the like of me!
HIGGINS. I'm glad the bathroom met with your approval.
LIZA. It didn't: not all of it; and I dont care who hears me say it. Mrs. Pearce knows.
HIGGINS. What was wrong, Mrs. Pearce?
MRS. PEARCE (blandly). Oh, nothing, sir. It doesnt matter.
LIZA. I had a good mind to break it. I didnt know which way to look. But I hung a towel over it, I did.
HIGGINS. Over what?
MRS. PEARCE. Over the looking glass, sir.
(..)
Act II Páginas 210 e 211

******************************************************
Pigmalião 
(..)
LISA – Co meu chapéu debo ficar melhor. (Pega no chapéu, põe-no na cabeça e atravessa a sala em direcção à lareira, com um ar elegante.) 
HIGGINS – Fantástico! Mais uma nova moda! E tinha de ser horrível! 
DOOLITTLE (com orgulho paternal) – Nunca pensei que um bom banho a deixasse com tão bom aspecto, patrão! Estou a marcar pontos, no estou? 
LISA – Pois fique sabendo que aqui é fácil a gente labar-se. Nas torneiras há toda a água quente e fria que se queira. Toalhas fofas e um toalheiro tão quente que'inté queima os dedos. Escobas macias para uma pessoa se esfregar e uma taça de madeira com sabão dentro que cheira a primaberas. Agora sei por que é que as senhoras são tão limpas. Um banho, pra elas, é um regalo! Gostaba que elas soubesem o que é um banho pra pessoas como eu!
HIGGINS – É um prazer saber que a casa de banho te agradou.
LISA – No é bem assim. Nem toda me agradou. E no m'importa quem me esteja a oubir. A Srª. Pearce sabe porquê.
HIGGINS – Que é que estava mal, Srª. Pearce? 
SRª. PEARCE (com voz suave) – Nada, Sr. Higgins. Não tem importância. 
LISA – Apeteceu-me parti-lo. Nem sabia para que lado olhar. Mas acabei por pendurar uma toalha nele.
HIGGINS – Nele o quê?
SRª. PEARCE – No espelho, Sr. Higgins. 
(…)
Acto II Páginas 67 e 68

Pigmalião, Bernard Shaw, Publicações Europa-América, Edição bilingue, Ilustrações de Feliks Topolski
Título original: Pygmalion (A Romance in five acts) 
Tradução de Mário César de Abreu