>

segunda-feira, setembro 16, 2013

AGENDA PARA OUTUBRO DE 2013



«Every man, through fear, mugs his aspirations a dozen times a day.»
Brendan Behan (1923 - 1964)

Dia 3 - Ao jeito de cartilha: Proponho-vos que usemos a sílabaPa” para formar as nossas palavras. Poderá ser colocada no início, no meio ou no fim da palavra que escolhermos. E não se esqueçam da fotografia. O texto que alguns de nós acrescentarmos é facultativo.
Dia 10 - Reticências com a frase “Manhã cedo” a iniciar o texto. Não esquecer a fotografia.
Dia 17 - Com as palavras dentro do olhar sobre fotografia da Bettips.
Dia 24 - Jornal de Parede, um novo desafio (*)
Dia 31 - Fotografando as palavras de outros sobre um excerto de um livro que eu adoro.

«Ta gorge est nouée. Les larmes font irruption dans tes yeux. Non, ce ne sont pas des larmes, c'est ton chagrin qui fond et qui s'écoule. Laisse-le couler.»

Terre et cendres, Atiq Rahimi, Éditions Khavaran, Vincennes, 1999, P.O.L. Éditeur, 2000


«Sentes o nó na garganta. As lágrimas irrompem dos teus olhos. Não, não são lágrimas, é a tua tristeza que fundiu e escorre. Deixa-a escorrer.»

Terra e Cinzas, Atiq Rahimi, Colecção Estórias, Editorial Teorema, 2001

(*) Como devem possivelmente estar lembrados, desde que há mais variedade de desafios, o Fotodicionário passou a ter lugar apenas nos meses com cinco semanas.
Pois apeteceu-me arranjar um outro desafio que o substitua nesses meses. Dei-lhe o nome de Jornal de Parede. A ideia é que cada um de nós contribua com o que lhe vier à cabeça e deseje partilhar com os outros. Poderá ser: uma fotografia, um pensamento, um desabafo, uma alegria, um texto, um texto a acompanhar uma fotografia, uma interrogação sobre qualquer acontecimento, uma história verdadeira, uma história ficcionada, uma interrogação, uma notícia, uma frase bonita, sei lá, o que agradar a cada um.
Parece-me que pode ser interessante. Imagino o papel posto na parede, grande, enorme – por acaso é no ecrã dos computadores, mas não importa - e nós em bicos de pés, ou não, pode ser de joelhos, em cima de um banco, de uma cadeira, do escadote... depende da nossa estatura, a colocar lá as nossas participações com o auxílio de alfinetes. Ou fita cola. Ou... Com cuspo não, claro. Não se aguentariam muito tempo, esmorecidas de moleza e fragilidade.