>

quinta-feira, outubro 31, 2013

1. Agrades

7 Comments:

Blogger Justine said...

Dor e resistência à dor. Lágrimas a escorrerem dos olhos, mas continuar a olhar em frente, sem pestanejar - assim foi a vida desta mulher!

31/10/13  
Blogger bettips said...

Sem medida.
Fica-nos o ar de sofrimento mas resoluto de F(e)rida que dizia "pintava a (sua) realidade e não sonhos".

31/10/13  
Blogger Luisa said...

Realidades que não desaparecem quando as lágrimas escoam.

1/11/13  
Blogger M. said...

A mim impressiona-me que o sofrimento atroz desta mulher durante anos e anos de luta seja aproveitado para enfeitar uma caneca. Tornado assim de certo modo ligeiro e banal. Faz-me confusão.

2/11/13  
Blogger M. said...

Se calhar o que disse no comentário acima foi um desvio ao que realmente interessava tomar aqui como relevante: o sofrimento estoico de Frida Kahlo. Independentemente do objecto em que ele é mostrado, ou por causa dele, talvez a nossa atenção e o nosso pensamento sejam alertados para essa dor física e mental que a consumiu. Apesar da arte em que se refugiou e a amparou.

2/11/13  
Blogger Licínia Quitério said...

Uma dor viva a desta mulher-sofrimento.

3/11/13  
Blogger Rocha de Sousa said...


A vida desta pintora e a convoca-
ção desta pintura têm a eloquência
do tema

3/11/13  

Enviar um comentário

<< Home