>

quinta-feira, novembro 14, 2013

13. Zé-Viajante



Não feches a porta, disse o velho. Com a vaga esperança que a porta de comunicação com o filho se mantivesse aberta. Muitos erros e equívocos tinham acontecido entretanto, cavando um fosso imenso entre eles.
Naquele dia, em mais uma tentativa de remediar a situação, o velho quase implorara um entendimento. Foi com imensa tristeza, ao olhar a porta por onde o filho saíra, que ele percebeu que tudo tinha sido em vão.
Aquela porta estava, talvez para sempre, encerrada.

Zé-Viajante

8 Comments:

Blogger Justine said...

Triste, quando se chega a esse ponto de desentendimento. Mas...às vezes outra porta se abre, devagarinho...

14/11/13  
Blogger bettips said...

As portas podem encerrar: dentro e fora. De nós.
Mas sempre devemos tentar sair.
Abç

15/11/13  
Blogger agrades said...

Será o 13 a dar azar? Muda!

15/11/13  
Blogger M. said...

É muito doloroso quando não há entendimento entre as pessoas, principalmente entre pais e filhos. Mas haverá sempre uma esperança, quem sabe.

15/11/13  
Blogger Luisa said...

Situações triste mas não irremediáveis. Talvez um dia...

15/11/13  
Blogger Benó said...

Uma porta grande demais para ficar fechada para sempre. Talvez haja um regresso pela porta dos fundos. Escreveste um texto triste mas, infelizmente, bastante atual.

16/11/13  
Blogger Licínia Quitério said...

Talvez não. Se repararmos bem ficou uma pequena fresta para o regresso.

18/11/13  
Anonymous Anónimo said...

É assim a vida! Quando menos se espera da-nos a volta, mas há sempre a esperança da sua reversibilidade.
M.J.J ara

19/11/13  

Enviar um comentário

<< Home