>

quinta-feira, dezembro 04, 2014

2. Bettips



                                    Telúrico 

Amo-te, árvore de há tantos anos, antes de eu nascida, que te prendes à terra e buscas o céu.
Amo-te, musgo que a vestes de veludo e a abrigas do vento norte.
Amo-te, pedra elegante e gasta, que és o corpo de granito convivendo com a raiz.
Amo-te, escada coroada de hera.
Subo-te e abraço-te com o meu olhar e a minha ternura.
E digo baixinho a lenga-lenga: quem pela hera passou e uma folha não cortou, do seu amor não se lembrou. 
Bettips

4 Comments:

Blogger agrades said...

TErnas declarações de amor à natureza.

4/12/14  
Blogger Luisa said...

Nada mais bonito do que estas imagens e o teu texto. Apetecia-me acrescentar a letra dum fado que cantava a Maria Teresa de Noronha: "Oh hera que não dás flor, teu coração para amor deve ser igual ao meu. Singela planta que eu amo, jamais se esqueceu do ramo onde uma vez se prendeu".

4/12/14  
Blogger bettips said...

Não conheço "esse". Hás-de cantar-mo no próximo encontro... Bj

4/12/14  
Blogger M. said...

Muito bonitos texto e fotografia. Uma verdadeira declaração de amor.

6/12/14  

Enviar um comentário

<< Home