>

quinta-feira, março 26, 2015

7. M.



«A natureza deste dia calmo 
Furta pouco o meu senso 
De se esvair o tempo. 
Só uma vaga pena inconsequente 
Pára um momento à porta da minha alma 
E após fitar-me um pouco
Passa, a sorrir de nada»

3 Comments:

Blogger bettips said...

Ah..."tanto mar"
que parece céu.

28/3/15  
Blogger Licínia Quitério said...

Tudo tão breve, tão leve...

30/3/15  
Blogger Justine said...

O tempo, somos nós que o "fazemos"

30/3/15  

Enviar um comentário

<< Home