>

quinta-feira, abril 30, 2015

5. Luisa

5 Comments:

Blogger M. said...

Aqui também um belo modo de interpretar o texto: olhando de fora para dentro imaginamos o que poderia passar-se lá dentro. Não é isso o que tantas vezes sentimos quando passamos na rua e nada sabemos dos moradores das casas? Adoro a perspectiva e o tom lúgubre, torna ainda mais misterioso o lugar.

1/5/15  
Blogger agrades said...

Esteve à janela cerca de meia hora.

2/5/15  
Blogger Justine said...

Lá está ela, por trás da vidraça...

2/5/15  
Blogger bettips said...

Se fosse dia como aqui, Helena teria saído pelo bocadinho de passeio adiante, apertando as mãos no peito. E a Natureza chuvosa e ameaçadora ter-lhe-ia parecido um lenitivo para tanta mágoa.

2/5/15  
Blogger Licínia Quitério said...

Podemos divisar o vulto esguio de Helena afrontando a noite.

4/5/15  

Enviar um comentário

<< Home