>

quinta-feira, novembro 05, 2015

2. Benó



Ramagem

O bando viera de fora, doutras terras, doutros poisos. Chegara cansado e docemente poisara na ramagem da araucária para um merecido descanso. Na árvore ficara todo o dia e toda a noite. Depois, seguira o seu destino e em mim só a lembrança das pequenas aves permanecerá. 
Benó

6 Comments:

Blogger agrades said...

PassaRAda organizada.

6/11/15  
Blogger Licínia Quitério said...

O que fica do que passa: a lembrança.

8/11/15  
Blogger Luisa said...

Engraçado como etas aves não se enganam no caminho.

8/11/15  
Blogger Justine said...

Tão lindo, o equilíbrio da natureza: a árvore que recebe as aves, as aves que vão céu fora...

9/11/15  
Blogger M. said...

a lembrar-me uma pintura chinesa na suavidade e na doçura do traço. Linda.

9/11/15  
Blogger bettips said...

São fugazes estes momentos: em que aves pensam e a gente quase as vê pensar e pensamos nós.
(tenho umas fotos muito semelhantes, e são do Algarve!)

10/11/15  

Enviar um comentário

<< Home