>

quinta-feira, fevereiro 11, 2016

9. Rocha/Desenhamento



Naquele dia, ao amanhecer, após uma noite violenta, assinalada por duzentos mortos, entre os quais vinte crianças, acordei para uma luz cinzenta e salvadora. 
Rocha de Sousa

4 Comments:

Blogger Licínia Quitério said...

Dias que são infindáveis noites.

13/2/16  
Anonymous zambujal said...

Nestes dias, como em todos os dias, temos de nos pôr em causa, temos de acordar para as luzes cinzentas mas em que nos ajudemos a recuperar para a humanidade.

13/2/16  
Blogger bettips said...

Entram-nos em casa, no espanto que sentimos, dessa guerra escura e absurda. Nesse amanhecer tu, como nós, temos a certeza de que NÃO pode ser assim!

14/2/16  
Blogger Justine said...

O nosso pesadelo diário, a nossa consciência e a nossa dor!

16/2/16  

Enviar um comentário

<< Home