>

quinta-feira, março 10, 2016

4. Jawaa



Apenas uma casa - acabada de construir.
A casa que vi desenhada no chão, antes de se abrirem os caboucos enchidos de pedra de granito donde cresceram as paredes, os muros. Os jacarandás ainda na beira da estrada sem asfalto, as buganvílias a espreitar meninas, à espera do ferro forjado que iria amparar os pesados cachos vermelhos, a parede nua por baixo das persianas, depois bordada pela chuva d'oiro, pingentes cor de sol; em volta sem casas próximas, campos de cosmos coloridos até ao edifício dos correios perto, longe para os passos dos meninos que éramos. Setenta anos? Quase...
O mundo inteiro pousado ali numa sucessão intensa de emoções, infância e juventude, contentamentos e desesperos, amizades e abandonos, amor... e a guerra - tudo num único olhar. 
Jawaa

5 Comments:

Blogger Justine said...

Comovente, o teu texto. Retrato de um tempo, das suas vitórias e das suas perdas! E tudo consubstanciado numa casa...

10/3/16  
Blogger Benó said...

Uma casa colonial, me parece. Hoje, um pouco abandonada mas que encerra em si tanta coisa como tu dizes.

10/3/16  
Blogger Licínia Quitério said...

A casa que viu passar sonhos e pesadelos duma época em mudança.

11/3/16  
Blogger bettips said...

Maravilhosa fotografia e descrição. Só pode ficar como uma "pedra preciosa", perdida no pensamento. Obrigada por no-lo dizeres e mostrares. Acrescentaste-me: memórias que não tenho.

11/3/16  
Blogger Luisa said...

Como é bom ver construir uma casa e depois meter-lhe lá dentro todos os nossos sonhos.

13/3/16  

Enviar um comentário

<< Home