>

quinta-feira, abril 14, 2016

12. Zambujal



QUANDO A NOITE chega… é preciso acender o candeeiro para que se faça luz sobre as teclas do computador onde os dedos correm (e alguma sobeje para quem os faz correr). Mas, antes, ilumina-se, quase incandesce, a mancha vermelha dos restos do cravo de papel que me foi oferecido o ano passado pelos alunos do 6ºB da escola onde por estes dias vou voltar. Serão outros os jovens, terei eu mais um ano, contar-lhes-ei as mesmas histórias de outra maneira, com a mesma alegria de sempre que conto o 25 de Abril que vivi. E vivo! 
Zambujal