>

quinta-feira, maio 12, 2016

4. Justine



A voz da natureza ouve-se por todos os cantos do jardim. Há para todos os gostos: ora são os melros zangados, ora são as rolas namorando, ora é uma miríade de outras aves que eu não reconheço mas que me presenteiam com concertos afinados. Uma delas fez o seu ninho na garagem e todas as manhãs me cumprimenta com um pio, sem medo mas atenta. Mais à noite há um bufão que entoa um lamento ritmado. E cobrindo todas estas vozes, ecoa o zumbido permanente, surdo, inquietante das abelhas, que trabalham sem descanso no mar perfumado das flores da glicínia. 
Justine

3 Comments:

Blogger Licínia Quitério said...

É assim que se pode imaginar um paraíso terrestre. Fico sem voz.

17/5/16  
Blogger Luisa said...

Belas as vozes e as cores do teu jardim

17/5/16  
Blogger bettips said...

Essa voz que aí se ouve (vê) tem cheiro e cores estonteantes!

18/5/16  

Enviar um comentário

<< Home