>

quinta-feira, junho 16, 2016

9. Rocha/Desenhamento

Eis como o real, aparentemente arrumado, nos confunde quanto à exacta postura dos planos. E os actos, as distâncias, as evidências. Reconheço as coisas mas não sei exactamente onde estão e como. Há uma balaustrada à frente, do outro lado, um homem ajeita não se sabe o quê. Atrás dele talvez os meus olhos destilem dois degraus de uma arquitectura do nosso tempo como é tudo neste imbróglio acintoso de planos. Depois das escadas, vejo claramente um carro e bem parece que está estacionado numa garagem de porta aberta diante de nós. Mas a terra não tratada atrás do carro, à esquerda, levanta novas dúvidas e só nos faltava que o carro fosse um placard publicitário ou a coisa real entalada num espaço meio absurdo, aberto para cá e para lá.
Como se pode achar, sei tudo o que vejo mas não vejo a circunstância do real. Parabéns, Licínia.

Rocha de Sousa