>

quinta-feira, julho 14, 2016

11. Rocha/Desenhamento



À espera, talvez, de um Verão quente e ventoso, milhares e milhares de figuras invadindo as praias, com panos floridos pelos ombros, carregando chapéus de sol de folha larga e os outros apetrechos para juntar coisas, cremes, comida, +agua. Longas toalhas puxadas pela mão lassa, varrendo a areia, à espera, talvez, de que as largassem em dois metros quadrados de areia. 
Rocha de Sousa

7 Comments:

Blogger Isabel said...

É um bocadinho deprimente...detesto multidões, seja em que situação for.

14/7/16  
Blogger M. said...

Ui que calor me faz esta multidão! E aquela coisa de ter uma bóia ao pescoço é ainda mais claustrofóbico, uma espécie de grilheta. Contraditórias, talvez, a grilheta e a individualidade, porque uma anula a outra? Reflexões minhas sem bóia ao pescoço.

15/7/16  
Blogger Licínia Quitério said...

Sufocante imagem. A multidão à espera de respiração.

15/7/16  
Blogger bettips said...

As praias, os medos, o que acontece por este mundo, de naufrágios e de outras mortes. Aflitivo de olhar e fazer "o paralelo", entre o riso e a lágrima. Hoje.

15/7/16  
Blogger Justine said...

Assustadora, esta imagem! praias só são visitáveis no outono ou no inverno, com a força do mar a lembrar a nossa pequenez...

17/7/16  
Blogger Benó said...

Sufoca olhar para estas fotos onde as pessoas não podem estender a toalha que não encalhem no vizinho.

17/7/16  
Blogger Luisa said...

Faz-me horror esta foto

18/7/16  

Enviar um comentário

<< Home