>

quinta-feira, abril 27, 2017

O DESAFIO DE HOJE

Proposta de Benó
Dia 27Fotografando as palavras de outros sobre o texto
"Nunca descobri como o meu irmão fazia mas começava por sentir uma espécie de diferença na casa e não sei explicar isto, a minha filha e o meu marido continuavam a dormir e os cheiros não mudavam, não mudavam os móveis, não mudava eu, as flores quietas elas que à mínima presença um frenesim de caules, a tampa da terrina, tão melindrosa, calada, um cano a suspirar no interior da parede...."
António Lobo Antunes "O meu nome é Legião" 2ª edição da D. Quixote/2007/Edição ne varietur. Pag. 205

4 Comments:

Blogger bettips said...

Qualquer "antiquário" esfregaria as mãos ao ver e escolher as várias terrinas "caladas", eh eh eh!
Um texto intimista, como os são todos, acho, de ALA.
Ressalvo, do conjunto, a criatividade das flores-caladas do Zé Viajante, e de M. + Justine, as portas entreabertas "onde não mudavam os móveis" e nem "mudava eu". Assim somos, de memórias espantadas e reflexivas.
Abçs

28/4/17  
Blogger Licínia Quitério said...

Vantagem absoluta das terrinas melindrosas.
Segundo lugar para as casas que se deixam (e muito bem) espreitar.
Em terceiro, isoladas, as flores em seu (do Zé) sossego.

Este é só um apuramento de resultados em função da quantidade de participantes.

Quanto à qualidade (excelente), todos ex-aequo!

29/4/17  
Blogger Benó said...

As terrinas venceram. Era um texto pouco dado a devaneios, sem muita escolha mas conseguimos safar-nos bem deste desafio. Obrigada .

3/5/17  
Blogger Justine said...

As terrinas de antigamente, as casas que permanecem, as flores de sempre: é o passado a fazer parte do nosso presente e a dar-lhe consistência, cheiro, sabor!
É bonito aquilo que nós fazemos neste pequeno grupo de amigos!

3/5/17  

Enviar um comentário

<< Home