>

quinta-feira, maio 11, 2017

7. M.



Apenas coisas, início de frase proposto pela Bettips para o desafio de hoje, levou-me a pensar que talvez nem sempre seja linear considerar as coisas como apenas coisas. Ligada a palavra apenas à que se lhe segue, julgo que nalguns contextos lhe retira a substância da sua individualidade, noutros, pelo contrário, acrescentará qualidade ao que se pretende exprimir. Importará conhecer o que se enuncia, de que se trata. Objectos, ideias ou casos, argumentos relevantes ou não, reflexões, tudo isso pode ser considerado coisas. Dependerá de cada pessoa o valor que lhes atribui, o afecto que as une, de como as olha, como delas se serve. Esta fotografia campestre, por exemplo, mostra um conjunto de objectos com significado muito especial para o seu dono, meu irmão. Para ele não são apenas coisas, são pedaços de recordações saborosas que deseja continuem a tomar parte activa no presente. Foram intencionalmente colocados ali para seduzir preguiças ou espevitar gostos e artes rurais, pacientemente ordenados na quietude sem tempo, à margem da urgência ou da indiferença de quem neles venha a reparar. Conheço bem este plano sorrateiro, a composição cuidada, porventura até estética nos pormenores, é-me familiar o gesto silenciosamente provocador de expor e esperar pela reacção de alguém, a tentação dos frutos. Depois é o pegar de novo no livro que abandonou sobre a mesa em breve pousio, sentar-se à distância na sombra da árvore e ir libertando o olhar num vaivém entre as páginas da história e aquela espécie de isco e logo se vê o que acontece. À mão de semear: adequada a expressão à função intrínseca dos utensílios aprisionados. 
M

3 Comments:

Blogger Licínia Quitério said...

Uma instalação, como agora se diz. Estou mesmo a imaginar a cena do artista provocador sentado lá ao fundo, atento ao livro e à chegada de ratinhos que mordam o isco da curiosidade. Também fico curiosa com o conteúdo daquelas bolsas. Parecem talheres de gigantes.

13/5/17  
Blogger Justine said...

Uma reflexão riquíssima sobre o tema, a acompanhar(ou a pretexto de) dessa "quase" obra de arte que são os objectos fotografados.

14/5/17  
Anonymous Anónimo said...

Tudo muito arrumado.

Teresa Silva

16/5/17  

Enviar um comentário

<< Home