>

quinta-feira, maio 18, 2017

O DESAFIO DE HOJE



Dia 18 - Com as palavras dentro do olhar sobre fotografia de Bettips.

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Para os que não sabem (e para os que sabem): trata-se de um recanto do Bacalhôa Buddha Eden, Quinta dos Loridos, no Bombarral. Ao longe, reproduções de guerreiros chineses em formação.
Não achei o lugar "kitsch" nem de mau gosto, a natureza que o rodeia e onde podemos passear (os que não podem ir ao estrangeiro ver coisas destas, acrescente-se...) reduz substancialmente alguma redundância das vistas e dourados.
Quis que esta fosse uma mensagem de descanso e paz, tal como diz a Benó, de que tanto estamos precisados. Neste banco não estamos sujeitos a "descalabros" mas apenas à contemplação da placidez do tempo e do dia.
Bjs a todos
Bettips

18/5/17  
Blogger M. said...

Estive aqui em 2006, por mero acaso, a caminho de um outro lugar das redondezas. Nessa altura começava este jardim a ser "composto" (soube mais tarde), para lá do lago e do resto do espaço verde de origem, pelo que encontrei, espalhadas no chão, estátuas inteiras, enormes, ou pedaços delas. Tudo aquilo era estranho e incompreensível, parecia meio abandonado, ou vandalizado, sem ninguém que explicasse o que quer que fosse. Mais tarde soube qual era a ideia chave por detrás da "composição" daquele espaço mas nunca mais lá voltei nem passei por perto. Após estes quase 11 anos de ausência, tenciono voltar para visitar o que nesse tempo me era impossível de compreender e sentir como desejável parte importante na vida das pessoas. Provavelmente não para todos, porque cada um sente a seu modo, mas para alguns o será. Com detalhes se forma o todo e dele se tem ideia, e do todo se retiram os detalhes. Depois...

21/5/17  
Anonymous Anónimo said...

Tenho ouvido falar muito deste jardim mas ainda não o visitei. Vale a pena?

21/5/17  
Blogger Licínia Quitério said...

"Gostos não se discutem" é uma frase feita que representa a diversidade dos nossos olhares e sentimentos sobre o mesmo objecto. É o que aqui se verifica. Todavia, não me repugna aceitar que, no meu caso, haja algum preconceito que tem a ver com a figura do mecenas que não faço ideia como foi adquirir tantas e tamanhas colecções de arte que se encontram por aí em vários lugares, uns mais visíveis, outros menos. Outro preconceito será ver a paisagem tradicionalmente agrícola e fértil, "invadida" por objectos, espécies e filosofias que lhe são estranhas.
Sou muito herege, como sabes, Bettips.
Beijo.

21/5/17  
Blogger Justine said...

De certo modo partilho o "preconceito" da Licínia. Repugna-me a figuro do sujeito, e imaginar como lhe foi parar às mãos tamanha colecção de arte incomoda-me bastante, Talvez por isso nunca tenha ido a esse parque, embora não tenha resistido a algumas visitas à colecção de arte moderna no CCB...

24/5/17  

Enviar um comentário

<< Home