>

quarta-feira, junho 07, 2017

2. Benó



O Mar profundo era, em tempos remotos, um abismo misterioso e desconhecido habitado por sereias e mostrengos capazes de engolir grandes embarcações com toda a sua tripulação e, assim, atemorizava os marinheiros que ousavam aventurar-se na sua descoberta. Hoje, muitos segredos ainda guarda, continua a ser uma riqueza com muito por explorar, tem potencialidades infinitas, sempre igual e sempre diferente, ora alteroso destruidor, ora manso brincalhão. Aqui, bem perto de mim, lembrou-se de entrar pela praia para formar uma pequena lagoa onde as aves marinhas se iriam alimentar. Depois, na vazante, recuou e o areal ficou molhado para que deixássemos a marca dos nossos pés como beijos de agradecimento. 
Benó

4 Comments:

Blogger M. said...

Interessante a recordação do que em tempos se pensava do mar, da importância que ainda hoje tem, e a beleza da imagem com as marcas humanas na areia.

9/6/17  
Blogger mena maya said...

O mar e os seus caprichos, que encantam desde sempre, esse mesmo mar que tanto maltratamos. Belo texto, Benó!

9/6/17  
Blogger Justine said...

É um privilégio morares junto ao mar, Benó, manteres a memória do que foi antigamente e que continua a ser!

11/6/17  
Blogger Luisa said...

Sempre lindas as tuas descrições do mar
Luisa

12/6/17  

Enviar um comentário

<< Home