>

sexta-feira, março 24, 2017

13.Zambujal




quinta-feira, março 23, 2017

AGENDA PARA MARÇO DE 2017

Proposta de Agrades
Dia 30Fotografando as palavras de outros sobre o texto
Quinze anos e meio. O corpo é delgado, quase frágil, seios de criança ainda, pintada de rosa-pálido e vermelho. E depois esta vestimenta que podia fazer rir e de que ninguém ri. Bem vejo que tudo se joga aí. Tudo se joga aí e nada está ainda jogado, vejo-o nos olhos, tudo está nos olhos. Quero escrever. Já o disse à minha mãe: o que eu quero é isso, escrever.”
Marguerite Duras, O Amante, Difel.

O DESAFIO DE HOJE

Proposta de Agrades
Dia 23 - Jornal de Parede

12. Zé Viajante



Criado o sinal, falta delimitar a zona de paragem. Que, pelas dimensões de uma vedação provisória, se destina apenas a minibus. 
Zé Viajante

11. Teresa Silva



Quando chegar o Verão, aqui está um local agradável para almoçar. Há imensos restaurantes, com boa comida e não são caros. É em Cacilhas, logo à saída do barco, uma rua sem carros. Há muitos anos que não ia lá e fiquei admirada com as melhorias feitas na Vila (ou já será cidade?). Casas recuperadas, espaços agradáveis, comércio para turistas e boas sardinhas. 
Teresa Silva

10. Rocha/Desenhamento

           COLAGEM NA PAREDE, PUBLICIDADE OU JORNAL?

9. Mena M.

8. M.




Tantos filhos é obra! De patos.

7. Luisa

6. Licínia

5. Justine



(fotografia de publicidade a uma especialidade daquele restaurante – frango assado com carvão) 
Justine

4. Jawaa

Passou o Carnaval e deixou de ser notícia a perfurar os olhos e ouvidos dos que com ele têm uma relação menos amável.
Esta sensação agudiza-se de cada vez que se insiste em dar cobertura a imitações de outras latitudes, nem sempre de acordo com as altas esferas que regem o nosso tempo atmosférico.
É que há outro tempo e, esse sim, o tempo dos jovens está de acordo com tudo; já o tempo dos mais velhos (alguns) prefere o que é mais dentro dos nossos costumes e se insere na época ainda invernosa.
Se é preciso ALEGRIA e disfarces, e neles se inclui naturalmente trajes, música e dança, que sejam inspirados nas modas regionais e nas personagens riquíssimas da nossa História.
É que há mais Carnaval fora do Brasil. 
Jawaa

3. Bettips



Monumento à entrada do cemitério Prado do Repouso, Porto, em memória do 31 de Janeiro de 1891. A primeira revolta contra a monarquia que aconteceu no Porto e daria origem à 1ª República. Curiosidade: durante os anos da ditadura, muita gente correu, perseguida pela polícia do regime, na "Rua de Stº António", que não era permitido chamar-se-lhe Rua 31 de Janeiro! 
Bettips

2. Benó



Quem se dirige para a praia do Martinhal/Sagres, no verão, não tem o prazer de ver esta lagoa. Vê sim, umas poças aqui, umas poças ali com alguma água que ficam das chuvas do inverno e que servem de depósito de alimento para aves marítimas e não só, que ali procuram o que escasseia no mar. No inverno, as chuvas e as marés grandes enchem a lagoa proporcionando belas imagens como esta. 
Benó

1. Agrades

quinta-feira, março 16, 2017

AGENDA PARA MARÇO DE 2017

Dia 23 - Jornal de Parede

O DESAFIO DE HOJE



Dia 16 - Com as palavras dentro do olhar sobre fotografia de Agrades.

11. Zambujal

Janelas com olhares que não são para fora, para os longes, janelas com olhares para dentro, para interiores, para tectos trabalhados, outras janelas e candelabros.
Zambujal

10. Teresa Silva

Foto interessante de uma sala muito solene. Gosto principalmente do tecto e do candeeiro. Fiquei na dúvida onde seria, museu? Igreja? Outra instituição?
 
Teresa Silva

9. Rocha/Desenhamento



Ao abordar esta insólita imagem, transferindo-a de quem a registou para os meus próprios olhos, tenho um primeiro plano como janela comum, através da qual esperaria ver um mundo doméstico singelo. E o que vejo é uma cúpula cilíndrica, estufa de papel ou tecto de carruagem mítica, paredes laterais como de comboio com janelas seguidas, a luz da revelação à direita. Sonho também um salão feito à mão, rudimentar mas eficaz e apelativo. |

Rocha de Sousa

8. Mena M.

Um magnífico tecto, que ao primeiro olhar me fez lembrar o Jogo da Glória, que ainda não há muito tempo joguei com os meus netos.
Gloriosas foram decerto todas aquelas personagens, de outros tempos dourados, retratadas nesta sala, que também já visitei, sem saber precisar onde. Terá sido em Coimbra, Agrades?
 
Mena

7. M.

Confesso que quando recebi esta fotografia da Agrades fiquei um pouco atrapalhada. Que dizer dela? Que pensar? Apetecia-me espreitar para lá da janela, olhar para baixo, procurar pessoas para as sentar nos cadeirões. Estaria a sala vazia? Espreito, não espreito? É feio espreitar, disse-me uma vozinha dentro de mim, a outra que gosta de competir comigo. Coitada, é pouco aventureira. Nem sabes o que perdes com essas manias. Pôr-me em bicos de pés, colar o nariz à transparência da vidraça? Quem me dera. Claro que não devo, ficaria embaciada com o bafo da minha curiosidade. Desenhar ali com os dedos bonecos que se desfazem... ui! tentador. Não podes, que disparate. Tem juízo. Repara, parece uma sala importante, que diriam aqueles senhores pendurados em quadros à volta da parede? Eles já estão tão sérios, depois ficariam ainda mais sérios, ou zangados, tenho a certeza. Ali não se brinca.
Bem, de que espaço se trata não me é evidente e, por alguns textos que me chegaram, há quem tenha dúvidas onde mora. Fazem-me falta o Sherlock Holmes e o Dr. Watson.
M

6. Luisa

Vejo nesta sala os capelos reunidos, sentados nas austeras cadeiras, indiferentes à beleza da sala e do seu tecto, a examinarem impiedosamente um trémulo aluno que também quer chegar a doutor.

Luisa

5. Licínia

Um olhar sobre a Sala dos Capelos da Universidade de Coimbra, um lugar com o peso da tradição.
Licínia

4. Justine

Estou do lado de cá de uma janela interior, local privilegiado para observar o salão. É um salão nobre, com sumptuosos tectos em madeira, nas paredes óleos pesados representando homens importantes (sim, que as mulheres não são chamadas para estas lides), um lustre quiçá de cristal de Murano, e um friso de cadeirões onde podem ter-se sentado, em conferências da maior importância, altas individualidades da hierarquia eclesiástica ou/e estatal em ocasiões especiais.
Só não consigo lembrar-me onde fica este palácio…
Justine

3. Jawaa

Uma sala régia, retratos, dourados, candelabros, artisticamente cobertos por uma abóbada trabalhada que me parece azuleijaria texturada, com ripas marmoreadas a segurá-la.
Ao olhar o retrato ao fundo, ocorreu-me o de D. João de Portugal, da peça magistral de Garrett, quando D. Madalena pergunta: Quem és tu? e ouve a resposta solene e intensa do mendigo: Ninguém!
Mas não, não poderia ser, aquela sala seria pesada e escura, sem luz, sem o brilho desta.

Jawaa

2. Bettips

"Quem tem telhados de vidro, não deve andar à pedrada" foi o que me surgiu ao olhar a bela fotografia da Agrades. A "Sala Grande dos Actos" ou "A Sala dos Capelos", na velha Universidade de Coimbra, conta a história assombrosa do conhecimento humano desde o séc. XIV.

Bettips

1. Agrades

Um olhar furtivo, admirado, extasiado, numa janela dum corredor que dá para a Sala do Capelo, em Coimbra, onde estava a decorrer um exame.

Agrades

quinta-feira, março 09, 2017

AGENDA PARA MARÇO DE 2017



Dia 16 - Com as palavras dentro do olhar sobre fotografia de Agrades.

O DESAFIO DE HOJE

Proposta de Agrades
Dia 9 - Reticências com a frase “Sem dúvida” a iniciar o texto. Não esquecer a fotografia.

13. Zé Viajante


      Sem dúvida que uns sabem o caminho. Os outros não. 

Zé-Viajante

12. Zambujal



              Sem dúvida que algumas certezas tenho. 
           Mas – de certeza! – estou cheio de dúvidas. 
                             (filosofando…) 

Zambujal

11. Teresa Silva



Sem dúvida é considerado um grande arquitecto, mais conhecido por ser o autor do estilo da "casa portuguesa", mas francamente acho-o muito rebuscado. 
Teresa Silva

10. Rocha/Desenhamento



Sem dúvida, são pregos. Pregos despejados no interior de uma caixa. Com algum receio, apetece começar a retirá-los dali, iniciando, martelada a martelada, o imenso trabalho de reconstruir o mundo. 
Rocha de Sousa

9. Mena M.



Sem dúvida posso afirmar que a viagem de hoje de Dresden para Berlin foi de todo invulgar. Tivemos que parar inúmeras vezes, o que causou o maior atraso que até hoje me aconteceu, mas para compensar viajámos à média luz, só com os pequenos candeeiros ligados, o que tornou o ambiente muito mais agradável. 
Mena 
(A qualidade da foto não é grande coisa, foi tirada à média luz com o telemóvel.)

8. M.



Sem dúvida que é possível trazer a primavera para dentro de casa e continuar ali um diálogo íntimo com a Natureza. 
M

7. Luisa



Sem dúvida, o legislador deveria incluir o mau gosto na lista dos crimes sujeitos a detenção. 
Luisa

6. Licínia



Sem dúvida, um pequeno animal com poucos dias de vida, ainda ao abrigo de palhinhas e de penas maternas, provoca-nos um momento de ternura pelo ser assim nascido, assim indefeso, mas já tão determinado a fazer o seu caminho, por muito breve e inglório que seja o seu destino. Assim sempre, o ciclo da vida. 
Licínia

5. Justine



Sem dúvida o inverno é a melhor época para passear à beira-mar: o areal vazio pertence-nos, a arrogância do mar transforma-se em beleza inexcedível, a luz suave do fim da tarde apazigua todos os nossos fantasmas interiores. 
Justine

4. Jawaa


Sem dúvida, o essencial permanece, mau grado os anos e o desrespeito pela propriedade alheia. 
Jawaa

3. Bettips



Sem dúvida que prefiro deambular pelas bancas de bugigangas e terrores estampados, alinhadas num jardim e entre as árvores, do que nas chamadas “catedrais de consumo” dos grandes centros comerciais. Acontece-me, a maior parte das vezes, não me sentir interessada em nada e olhar com espanto a panóplia dos expositores. E seja aqui seja nas lojas de marcas conhecidas e aparentemente inócuas, reparo nas etiquetas que afinal são idênticas. Sem dúvida... fazem-me girar a cabeça como numa centrifugadora: da China ao México, a voragem do comércio atordoa-me! 
Bettips 

(Jardim da Boavista no Porto.)

2. Benó



Sem dúvida que o por-de-sol no Cabo de S.Vicente é dos mais belos espetáculos que se pode admirar ao fim do dia. Vêm de perto e de longe, munidos de sofisticadas máquinas fotográficas para assistir e guardar para mais tarde recordar, ao mergulho do astro rei e, não raramente, se ouve o saltar da rolha de garrafas de champanhe e um erguer de taças numa saudação especial à alegria de estar vivo ali e observar o mar e o céu no abraço de despedida àquela bola de fogo que tinge de cores quentes o horizonte. 
Sem dúvida vale a pena viver aqui. 
Benó

1. Agrades


Sem dúvida foi uma tarde enriquecedora a que passei na Gulbenkian a ver a exposição Almada Negreiros, uma maneira de ser moderno. 
Agrades

quinta-feira, março 02, 2017

AGENDA PARA MARÇO DE 2017

Proposta de Agrades
Dia 9 - Reticências com a frase “Sem dúvida” a iniciar o texto. Não esquecer a fotografia.

O DESAFIO DE HOJE

Proposta de Agrades
Dia 2 - Ao jeito de cartilha: Proponho-vos que usemos a sílabaJu” para formar as nossas palavras. A palavra que cada um apresentar tem que conter a sílaba pedida e exprimir a imagem que lhe foi associada com sintonia clara entre ambas. Se houver preferência por um conceito, a regra a aplicar é a mesma, ou seja, ele tem que ser expresso por uma palavra que tenha a sílaba pedida. O texto que alguns de nós acrescentarmos é apenas facultativo e um complemento.

12. Zé-Viajante



 Romão e Juliana

«O bom filho à casa torn diz o ditado. E nós, os outros viajantes do PPP, também. Tenho a certeza que todos ficarão contentes com este teu regresso. Mantive o segredo para fazer surpresa.

11. Zambujal



Judite, nome de mulher, nome de mãe, 
             nome da minha mãe 
(uma das últimas fotos, com 96 anos) 

Zambujal

10. Teresa Silva



Judiaria


Muitas das cidades de Portugal e de Espanha preservam as suas Judiarias. São um marco histórico muito importante. Córdova é um bom exemplo. 
Teresa Silva

9. Mena M.



Juba
  
(Um desenho feito por uma das filhas da Mena.)

8. M.



bilo

7. Luisa



Juventude

A juventude do meu tempo num pic-nic em Alenquer. 

Luisa

6. Licínia



Jumento
 
Numa quinta ecológica num parque de Bruxelas. Igualzinho aos nossos, mas
zurra em francês.
 
Licínia

5. Justine



Jusante

A fotografia foi tirada no Cais das Colunas em hora de baixa-mar.

Justine 

4. Jawaa



Juro que não fui eu...!

3. Bettips



Juromenha
 
A última fortaleza antes de Espanha. A foto é de 2009 mas logo-logo e a jusante, se começaria a formar o grande lago do Alqueva.

Bettips

2. Benó



Junho

Junho
Um mês que marca o meio do ano. O mês do inicio do verão. Junho o mês dos Santos populares, dos arraiais, das sardinhas assadas. Acontece sempre um pouco de loucura neste mês.
Benó

1. Agrades



Juventude