>

quinta-feira, novembro 12, 2015

7. Luisa



Aquela casa já foi símbolo de poder, riqueza e intriga. De felicidade pouco. 
Luisa

5 Comments:

Blogger Justine said...

Como tantas outras, Luísa, onde de facto poder, riqueza e intriga não se misturavam com felicidade...

14/11/15  
Blogger bettips said...

Pareces saber, menina Luisa...As pegadas do musgo e o fechamento das paredes. Alenquer, será?
Se tiveres disposição para tal, conta um pouco dela!

15/11/15  
Anonymous Anónimo said...

Dramática a foto e o texto

Teresa Silva

16/11/15  
Blogger Luisa said...

Beptiips, não digo onde é esta casa por uma questão de discrição. Pode alguém conhecê-la. Mas imagina, homens simpáticos, de bigodes, sempre prontos a ajudar todos, principalmente "damas desvalidas". Lá dentro, donas de casa, caladas, obedientes, dependentes. Eles não são de muitas festas mas exibem os primeiros automóveis da terra e viajam até termas no estrangeiro. Passam-se 2 ou 3 gerações e chega uma que acha dever modernizar tudo. Vendem-se vinhas e pomares e instalam-se stands de máquinas que ninguém compra. Os carros são substituídos por viaturas de alta cilindrada e há as primeiras mortes da família na estrada. Depois doenças e miséria. O último da geração enclítica morre só e pobre aos 100 anos.

16/11/15  
Blogger bettips said...

Claro, Luisa, a tua descrição é poderosa e cabe (na discrição) da casa. Devem ser tantas as histórias semelhantes... Abç e Obg

16/11/15  

Enviar um comentário

<< Home