>

quinta-feira, fevereiro 09, 2017

2. Benó



Então era assim que enroladinha, ternamente quieta, todas as manhãs ela esperava que a porta da cozinha se abrisse e lhe fosse servido o pequeno almoço. As suas sopinhas de papo-seco em leite morno deliciavam-na desde que aparecera no Jardim e fora acarinhada por todos. Numa tigela de inox comprada especialmente para a senhora gata o pão amolecia no leite que ela lambia até desaparecer a última gota. Mas, antes de iniciar a sua refeição matinal, a única que vinha tomar a nossa casa, a Tareca esfregava-se languidamente nas minhas pernas como só as gatas sabem fazer.
Foi assim que este ritual se praticou, durante algum tempo, com prazer para nós e satisfação para ela, suponho. Mas a Tareca era gata de rua e, tal como tinha aparecido assim desapareceu sem uma adeus, sem um miado.
Deixou saudades. 
Benó

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Os gatos são muito independentes e apreciam acima de tudo a sua liberdade apesar do encanto das sopinhas de leite - Luisa

9/2/17  
Blogger Justine said...

Pela minha experiência com gatos que por aqui vão aparecendo e desaparecendo, concordo com a Luísa: provavelmente ela descobriu uma outra benemérita que lhe deu a provar outro manjar, e ela decidiu mudar de menu...
São uns bichos especiais e encantadores, os gatos!

10/2/17  
Blogger bettips said...

Nem imagino o vosso desencanto... Era linda! Os gatos são bichos diferentes, são eles que escolhem os donos e os afectos. Mas sei de casos em que andaram muito para chegarem "a casa" deles: estaria a Tareca de passagem?

10/2/17  
Blogger Licínia Quitério said...

Tão linda essa bichana. Pena não ter voltado.

13/2/17  

Enviar um comentário

<< Home