>

quinta-feira, janeiro 30, 2014

O DESAFIO DE HOJE

Dia 30 - Fotografando as palavras de outros sobre um excerto de um livro muito antigo. Lembram-se de Luís de Sttau Monteiro? Eu achava-lhe graça.

«As flores não se comem e é por isso que elas não têm medo de crescer nos caminhos e nos parques porque se as flores fossem de comer já havia grémio das flores e outras coisas iguais e vai de vez em quando a gente ficava a vê-las por um óculo como acontece ao bacalhau que não é flor e que se come mas as flores têm graça porque não se comem mas bebem-se quando a Vovó começa a falar alto ao jantar e a dizer mal dum senhor que se chama Kaiser e que parece que já morreu mas ela não acredita e diz que a culpa de tudo é dele a minha Mãe dá-lhe chá de flor de laranjeira e manda-a para a cama e às vezes não é preciso chamar o doutor mas às vezes é aqui ao lado mora uma senhora chamada D. Lisabete que tem flores num caixote à janela e rega-as todos os dias com uma cafeteira que comprou com tampas de detergente e mais cinco escudos que é o preço da cafeteira mesmo para quem não tem tampas de detergente e a água cai por um buraquinho que há no caixote em cima das pessoas que passam na rua e elas ficam danadas e gritam cá para cima (...)»

Redacções da Guidinha (A Flor), Luís de Sttau Monteiro, Areal Editores, 2003
Compilação de algumas “Redacções da Guidinha” publicadas no Diário de Lisboa entre 1969 e 1970 e agora reunidas em volume por especial deferência deste jornal.

(Como seria impensável transcrever aqui o texto todo, tinha de parar esta enxurrada de palavras em qualquer sítio mas confesso que me foi difícil escolher onde.)