>

quarta-feira, setembro 30, 2015

6. Licínia



                      Desamparo

A corda da roupa que não voltou, os vasos que se quebraram e deixaram duas auréolas de santos que nunca foram, a parede a desfazer-se, a apagar a faixa azul, as plantas bravas a sugarem a velhice das telhas. Por detrás da cortina, discretamente arredada, a lembrança de um rosto explica o desamparo que percorre a casa. 
Licínia

6 Comments:

Blogger Justine said...

Foto bela e triste, texto belo e poético - e tudo sobre o abandono

3/10/15  
Blogger M. said...

A humanização de uma janela. Muito bonito.

4/10/15  
Blogger Luisa said...

Por que a abandonaram os vasos, as telhas, as listas de cor? Histórias que ficam por contar.

5/10/15  
Blogger mena maya said...

a corda põe-lhe um sorriso triste no rosto...

6/10/15  
Blogger bettips said...

Não se debruça a senhora, não se regam os vasos, esboroa-se a memória. Foto e palavras que dizem do desassossego que é olhar uma ruína e fazê-la falar.

6/10/15  
Blogger jawaa said...


Retrato da decadência de uma vida (vidas que se apagam) muito bem documentado nas palavras que o acompanham.

7/10/15  

Enviar um comentário

<< Home