>

quinta-feira, dezembro 17, 2015

11. Zambujal

Um caracol bisbilhoteiro. Apanhou-nos desprevenidos. Deve ter subido para aquela posição rapidamente. Só assim podia ter sido. Sem lhe termos visto o caminhar lento, que costuma ser arrastado e deixando rasto viscoso. Não. Apareceu ali. À hora do almoço.
Quando se levantam os olhos do prato para pousarem nos verdes.
Lá fora.
E apanha-se, assim, de repente, com um repentino caracol a espreitar.
No almoço seguinte também. E no outro. Tornando-se o mistério do caracol no vidro.
Mereceu uma foto.
Feita a tempo. Porque parece que, depois de descoberto e fotografado, tão rápido como chegou se foi. Deu “às de Vila Diogo”.
Deixou a recordação.

Zambujal