>

quinta-feira, maio 09, 2013

11. ~pi



Há momentos em que a fonte se desloca no caminho como um corpo de cristal. 

~pi

8 Comments:

Blogger mena maya said...

Mistérios e maravilhas da mãe natureza!

9/5/13  
Blogger Licínia Quitério said...

O cântaro inesgotável. Que lindo!

10/5/13  
Blogger M. said...

A beleza das coisas. Imagino ali uma rapariga de olhos apaixonados descansando os seus pensamentos.

10/5/13  
Blogger Justine said...

...e mata toda a sede de beleza do mundo!

11/5/13  
Blogger bettips said...

O fluir da água e do sentimento, sempre, nas tuas palavras transparentes!

11/5/13  
Anonymous do Zambujal said...

Bela foto e bem captado momento...

12/5/13  
Blogger Luisa said...

Esperemos que as fontes não sejam privatizadas

13/5/13  
Blogger ~pi said...

Obrigada, amigos...
... essa fonte apareceu-me ao caminho, num lugar esquecido entre a vila de Mogadouro e a sua estação.

Era uma fonte muito usada pelos que ali paravam a beber água, depois de percorrerem a pé, por caminhos de terra, a distância de 6km - sim, 6km, que separava o corpo do comboio.

Mais tarde, os carroa apareceram, mas até ali, a distância era percorrida sem dramas, todos se levantavam cedo, rumo à máquina a vapor que chiava e bufava até ao Porto, linha do Douro, que eu mesma fiz inúmeras vezes quando vinha à praia em criança, na Póvoa do Varzim.

E, claro, pela falta de uso e porém, sempre fiel à sua primeira função, ali se conserva, coberta de verdes de todas as formas egradações - cantando líquida a sua língua água gelada :-)




~

14/5/13  

Enviar um comentário

<< Home