>

quinta-feira, maio 23, 2013

8. M.



Por vezes, certos momentos, porque vividos em solidão são sentidos como assustadores e negros, passam a ter outra cor e outro significado quando, depois, é possível falar deles com alguém que nos empresta o seu ouvido. 

M

8 Comments:

Blogger agrades said...

O que tanto nos aflige durante a noite de manhã tem solução.

23/5/13  
Blogger M. said...

Sim, a solidão que emana desta tua magnífica foto é de tal maneira palpável, que só pode diminuir, depois da conversa, ao raiar da manhã...

Justine

23/5/13  
Blogger bettips said...

Ombro a ombro
até de noite a conversa afasta os fantasmas.
Gosto aqui destes efeitos que pintam sentimentos e se evadem do real.

24/5/13  
Blogger Luisa said...

Boa interpretação do provérbio numa bela fotografia e num texto que não nos pode deixar indiferentes a estas realidades.

24/5/13  
Blogger Rocha de Sousa said...

Curiosa fotografia. E o que me parece é que, talvez com luz artificial, a imagem fica suspensa
entre o dia e a noite, com algum
mistério

26/5/13  
Blogger Licínia Quitério said...

Escuto-te. Vês como não é tão feio assim?

27/5/13  
Anonymous do Zambujal said...

Foto e legenda. Um todo. Solidão? Quando dois ombros se tocam e ouvidos se emprestam à fala do outro? Assim se vence. o que pode ser sentido como assustador e negro.
Ficaria aqui tempos (se) esquecidos, a olhar e a escrever, a discorrer... que melhor ou outro comentário ou elogio?

28/5/13  
Blogger Benó said...

De noite ou de dia, um ombro amigo é uma caricia para um rosto triste.

29/5/13  

Enviar um comentário

<< Home