>

quinta-feira, abril 16, 2015

3. Jawaa

É como me sinto: sentada nessa cadeira, as pernas pendentes, os braços inertes e a cabeça a tentar o apoio do degrau acima, olhos sem ver para além do escasso verde por entre uma secura agreste. 
Jawaa