>

quinta-feira, janeiro 12, 2017

12. Zambujal



Um dia, ao amanhecer… 
Naquele dia, quando manhã começava a ser, levantei-me do aconchego no lugar de velhos lençóis de algodão e cobertores de papa, enrolei-me no roupão, enfiei os pés nas pantufas, e fui fazer o que me obrigava a sair de onde tão bem estava.
No regresso da casa de banho, os olhos até aí semi-cerrados abriram-se de espanto e encanto: no quintal, o sol de inverno recuperava à cobertura branca da geada o verde da relva. Ainda pensei ir lá perto, viver o só fotografado, sacrificar o apenas interrompido sono...
Com a temperatura a menos não sei quantos!? Fica para outro dia, ao amanhecer… 
Zambujal

5 Comments:

Blogger Justine said...

Fizeste muito bem, porque ias constipar-te!! E essa vista à distância não é menos bela...

15/1/17  
Blogger Licínia Quitério said...

Muito lindo para ver por dentro da janela. Amanhã pode ser que o amanhecer ainda seja mais bonito.

16/1/17  
Blogger bettips said...

No Inverno, sentimos uma certa timidez de tempo livre...
Mas a foto dá vontade de sair, descalça (um pastorinho!), como se uma aparição aparecesse, com passos de veludo-geada. Branca como anjo.
Com a idade, perdem-se esses sonhos de magnitude e a gente fica mais cerebral!

16/1/17  
Blogger jawaa said...


Tão bonito ver o sol avançar sobre a relva branqueada pela geada!
É um melro sem frio a levantar a terra húmida com o bico...

17/1/17  
Blogger M. said...

Uma imagem lindíssima de grande pureza. O texto, o habitual sentido de humor que espreita nas e entre as palavras com que constróis o pensamento.

17/1/17  

Enviar um comentário

<< Home