>

quinta-feira, junho 13, 2013

11. ~pi



E lá vai ela de novo, parada.
Os pés tropeçavam nos livros lidos e os olhos cegavam.
Tudo o que lera lhe servia agora como conhecimento vago e ficcionado; nada de nada lhe sobrava, apenas alguma poesia - pouca poesia, na verdade: essa que a deslocava ainda para lá dos pés e das rasíssimas sandálias de peregrinação - rasas como campa rasa.
~pi

7 Comments:

Blogger Rocha de Sousa said...


Bela fotografia, todas as rarida-
des incluídas, e ela (que vai)quem
é? A poesia ou ~pi?

13/6/13  
Blogger M. said...

Talvez ambas, João Manuel, mas só a autora poderá dizer e mesmo assim, se calhar até terá mais do que uma interpretação da sua própria reflexão.

13/6/13  
Blogger Luisa said...

Há muito quem vá, parando, talvez para pensar.

13/6/13  
Blogger Licínia Quitério said...

A caminhar como um poema que nunca sabe se já chegou ou sequer partiu.

14/6/13  
Anonymous Anónimo said...


Quanta desilusão! Texto triste, Pi!

Justine

15/6/13  
Blogger mena maya said...

ah a poesia...mesmo tão triste é bela!

16/6/13  
Blogger bettips said...

"Se partires um dia rumo a Ítaca..."
.. que seja com os pés nus e verdadeiros, para que sintas as raízes da poesia como erva fresca.
Oxalá vá, ela-tu-eu-nós, mesmo parada(s)~~~~-

17/6/13  

Enviar um comentário

<< Home