>

quarta-feira, junho 19, 2013

5. Licínia

A fornalha, a brasa, a chama, a chispa.
O fogo, o ferro, o ar, o homem.
O ferro escalda, o homem bate, o homem sopra.
E o fogo, e o fogo. E o ferro, e o ferro.
O ferro escalda, o ferro dobra, o ferro quebra.
É a luta, é a força, é o sonho, é a obra.
É o Sol, é o Sol.

Licínia

5 Comments:

Blogger Justine said...

É a poesia, aqui viva e adequada e bela, como tu a sabes criar!

20/6/13  
Blogger Rocha de Sousa said...

Bela e poética leitura da escultu-
ra de Jorge Vieira (Expo98)

21/6/13  
Blogger bettips said...

Ah... poetas e artistas
e escritores
pintores
músicos

e amigos
enchem-nos os dias!
Belo belo...

21/6/13  
Blogger M. said...

E visualizo a cena e quase oiço o barulho dos materias em acção repetida. Muito belo.

23/6/13  
Anonymous do Zambujal said...

... do que/como faz a poeta um poema...

25/6/13  

Enviar um comentário

<< Home