>

quinta-feira, dezembro 13, 2012

4. Justine



Que dizer dos espelhos que, mal os olho, me devolvem um rosto de mulher idosa, preocupada e por vezes triste, quando eu sei que sou ainda aquela menina a saltar à corda no quintal, a correr atrás das borboletas e a sorrir mal chega perto do mar? Os espelhos só podem estar desfocados! 

Justine

8 Comments:

Blogger ~pi said...

tu saberás como está viva e maravilhosa em ti essa menina?!

( como tão bem e tão transparente a re(vejo, Justine :-)(






~

13/12/12  
Blogger bettips said...

Fica/ficou um sorriso que te retrata melhor que as fotografias.
Tão bonita a intrepidez da infância; em que estar um degrau acima ou sobre uma cadeira nos visionava o mundo!

15/12/12  
Blogger Rocha de Sousa said...

Fotografia funcional em relação
muito especial com o texto. Quem
devia estar ao espelho está a olhar-se depois, na menina que a
objectiva nos consolida. Bela trun-
cagem

15/12/12  
Blogger Luisa said...

Olha as tuas fotos de infância, não o espelho, porque essas imagens continuam a ser a verdade da tua vida. Tens razão: o espelho é que está desfocado.

16/12/12  
Blogger M. said...

Para quê deixarmo-nos entristecer com a realidade exterior das nossas rugas se mantivermos dentro de nós o segredo da juventude?

16/12/12  
Anonymous Zambujal said...

... nem sempre uma menina bonita se faz uma bela velhota...
Há quem tenha sorte,e faça por a merecer!

16/12/12  
Blogger mena maya said...

Justine fantástico o teu espelho mágico, que dá elogios e muito mais importante que isso é capaz de captar também a imagem interior!

Um abraço aos dois!

16/12/12  
Blogger Licínia Quitério said...

Olha mais de perto, Justine, mais fundo, no fundo dos teus olhos. Do lado de lá encontrarás a menina sorridente, resistente, salpicada de mar.

16/12/12  

Enviar um comentário

<< Home