>

quinta-feira, dezembro 06, 2012

6. Licínia



                   Meninice

13 Comments:

Blogger Rocha de Sousa said...

A fotografia é apelativa e toma a
menina (com me)emblemática de mui-
tos «mes» que um texto poderia no-
tabilizar.

6/12/12  
Blogger agrades said...

"Me"nino de palácio...

6/12/12  
Blogger M. said...

Na dureza deste mundo de desumanidades por vezes só a leveza branca dos meninos nos anima. Tão bonita esta estátua!

6/12/12  
Blogger Licínia Quitério said...

Obrigada, M., pela ideia das letras a branco. Enriqueceram a leitura da foto.

6/12/12  
Blogger Luisa said...

Meninice encantadora. Todas terão sido assim tão doces?

6/12/12  
Blogger bettips said...

Quase nem via as letras, caramba, estou a deixar rapidamente a meninice!
É uma beleza, até os dedinhos no ar, os brinquedos. Fico sempre intrigada com esta arte de arrancar duma pedra informe estes gestos suaves!

6/12/12  
Blogger mena maya said...

O soldadinho de chumbo, seria hoje um star wars ou coisa que o valha...

Onde descobriste esta preciosidade, Licínia?

7/12/12  
Blogger Benó said...

Uma meninice adorável e terna. Linda a ideia.
Os medronhos, como sabes, dão-nos um licor maravilhoso mas, os melros não me deixam frutos para isso,pois só tenho um medronheiro que serve de alimento às avezinhas do jardim.

7/12/12  
Blogger Licínia Quitério said...

No palácio da Ajuda, Mena.

8/12/12  
Blogger Licínia Quitério said...

Finalmente, apurei o que não consegui numa visita apressada ao palácio. É nem mais nem menos que "O Príncipe Real D. Carlos", futuro rei D. Carlos I. Obra do século dezanvoe, da escola italiana, atribuído a Cesare Signinolfi. E não é que agora me parecem evidentes as semelhanças com as feições do rei adulto?

8/12/12  
Anonymous Anónimo said...

Lindíssima estátua, mas não consigo visualizar nela a imagem do Rei, como mais tarde foi conhecida. Dessa personagem trágica, retenho principalmente as qualidades artísticas - lindíssimas aguarelas sobre temas do mar.

Teresa Silva

9/12/12  
Blogger jawaa said...

Meninice de ouro, preciosidade de estátua, mas não é que lhe vejo - agora que o desvendas, Licínia! - um levíssimo ar de tristeza como que a adivinhar o final triste de um artista incompreendido?

10/12/12  
Blogger Justine said...

Prefiro olhar a escultura como um menino anónimo, com os seus brinquedos ao colo...

10/12/12  

Enviar um comentário

<< Home