>

quinta-feira, dezembro 20, 2012

9. Mena M.

Do perceptível e do imaginário,
de superfície e profundidade,
da arte do equilíbrio,
de espelhos e seus reflexos,
da insustentável leveza de
ser sonho ancorado à espera da maré.

De tudo isto me fala esta minha fotografia,
tirada num domingo de outubro no Porto de Setúbal.

Mena

6 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Um texto sintético que elenca, mui-
to bem, os dados de uma história
subentendida, profundidade, imagi-
nário, equilíbrio -- e um caso de
maré, a consumação da morte.

Rocha de Sousa

20/12/12  
Blogger Justine said...

Que interessante este teu "jogo" dos múltiplos pontos de vista!

20/12/12  
Blogger bettips said...

Deu-te este Portugal-percorrido um longo passeio pela bela imaginação, do mar, da água.
Assim nasce um desejo íntimo, de amarras que se dizem alto e se quebram.
A foto é linda em meia dúzia de linhas de pintura.

É "superficial" no azul, graças às bóias que não vi...
Mas estou a tempo, não é Mena?
Bjs

21/12/12  
Blogger Licínia Quitério said...

E o grande azul de Setúbal te deu esta foto magnífica, com o seu barco de mar e terra, ancorado num derradeiro porto.
Boas Festas, Mena.

22/12/12  
Blogger Luisa said...

Linda a tua fotografia como sempre.

23/12/12  
Anonymous do Zambujal said...

... da arte do equilíbrio...

25/12/12  

Enviar um comentário

<< Home